quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Onésimo

Um bom cidadão
que glorifica a Deus
(Onésimo)


Filemon, um servo do Deus Criador que morava na cidade de Colossos, era generoso, hospitaleiro e muito querido do apóstolo Paulo, pois foi Paulo quem contou pra ele sobre Jesus e sobre o amor de Deus. Desde que Filemon se tornou um cristão, em sua casa reunia-se uma igreja (pessoas que amam e obedecem ao Senhor Jesus).

Ele era um homem rico, possuía muitos bens e também escravos, o que era normal naquela época (um escravo é alguém que não possui nenhum direito, é uma propriedade do seu dono).

Certo dia, um de seus escravos chamado Onésimo o roubou e fugiu. A pena para um escravo fugitivo era a morte. Fugitivo, Onésimo encontrou o apóstolo Paulo que estava preso (Em Roma a quase 2.000 quilômetros de distância. Os presos ficavam na praça pública para que todos os vissem). Ali, ouvindo as pregações e conversando com Paulo ele se arrependeu dos seus pecados e também se tornou um cristão (mesmo estando preso, Paulo não deixava de falar do amor de Jesus para com as pessoas). Agora Onésimo também se tornou um servo do Deus criador, como Filemon o seu patrão.

Então, o apóstolo Paulo resolveu mandá-lo de volta para Filemon, seu senhor, com uma carta escrita de próprio punho, isto é, ele mesmo escreveu com sua mão (muitas vezes ele ditava a carta para alguém escrever). Na carta ele escreveu o seguinte: “Estou enviando Onésimo que considero como meu filho, pedindo que você o receba e o perdoe por ter fugido, porque agora ele é um servo de Deus também, portanto, nosso irmão. Se ele estragou alguma coisa ou deve algum dinheiro a você, coloque tudo em minha conta, pois eu pagarei.  Amigo, faça isso como se estivesse fazendo para mim, pois meu coração ficará muito feliz. Tenho certeza que você me atenderá e fará muito mais do que estou pedindo. Continue orando por mim, porque assim que eu sair da prisão vou visitá-lo!”

Você já imaginou como Onésimo deve ter ficado com medo de voltar? O apóstolo Paulo conhecia o caráter de Filemon, e sabia que ele era um cristão verdadeiro, que demonstrava isso em suas atitudes diárias, por isso não teve medo de mandar Onésimo de volta com uma carta apenas. Ele sabia qual seria a atitude de Filemon como um verdadeiro cristão. Onésimo, agora também teria atitudes diferentes, porque ao se tornar um cristão deixou de pensar apenas em si mesmo, mas passou a pensar no que ele devia fazer para agradar a Deus, mesmo sendo um escravo. Você já se colocou no lugar de Filemon? Você perdoaria seu escravo que fugiu?

Será que suas atitudes tem sido de um bom cidadão diante da sociedade, honesto, cumpridor das leis, trabalhador, e respeitador. Todo verdadeiro cristão deve ser um bom cidadão porque isso faz com que o nosso Deus seja admirado através de nossas vidas. Ore pedindo a Deus que te ajude a ser um bom cidadão em nosso país, e cada dia mais parecido com Jesus.

“Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus.”  Mateus 5:16 Texto: Filemon

O lição foi extraída do blog Mais Bíblia


ANEXOS








































Na página download você pode
baixar os slides dessa lição!

domingo, 27 de novembro de 2016

Russel Shedd


Russell Phillip Shedd:
uma vida de amor à Palavra de Deus

Russell Phillip Shedd: uma vida de amor à Palavra de Deus
Com enorme pesar, informamos que nosso fundador e presidente emérito, o dr. Russell Phillip Shedd, faleceu na madrugada de hoje.
O velório será nos dias 27, 28 e 29 na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.

Juntamente com a igreja brasileira, lamentamos profundamente a perda deste servo valoroso, que deixará uma lacuna irreparável. Ainda assim, alegramo-nos no Senhor por saber que ele, tal como o Apóstolo Paulo, combateu o bom combate, terminou a carreira, guardou a fé e tem reservada para si a coroa da justiça.

Fiel mensageiro da Palavra, o Dr. Shedd foi incansável em seu ministério, tendo percorrido todo o Brasil como conferencista e professor, pregando e palestrando em congressos, igrejas, seminários e faculdades de Teologia. Foi exemplo extraordinário de uma vida de amor à Palavra. A literatura e o ensino teológicos no Brasil devem muito à incansável, inspiradora e comovente dedicação desse grande servo de Deus.

Ele deixa a esposa, dona Patricia Shedd, com quem foi casado por 59 anos, além de 5 filhos (Timothy, Nathanael, Pedro, Helen e Joy), 14 netos (Laura, Kelley, Rebecca, Katherine, Leander, Cayenne, Henry, Jonathan, Michael, Stephanie, Evelyn, Scott, Susan e Katie) e uma bisneta (Izabella).

O velório será a partir de amanhã (27/11) na Igreja Bíblica Evangélica da Comunhão, Rua Tito 240, Vila Romana – São Paulo. O enterro será na próxima quarta-feira (30/11) no Cemitério da Paz, Rua Doutor Luiz Migliano, 644, São Paulo.

Um breve relato da vida
e da obra de Russell Shedd

Russell Phillip Shedd nasceu em Aiquile, pequena cidade boliviana, no ano de 1929. Aos dez anos de idade, já falava espanhol, inglês e aprendera também o dialeto local. A semente de seu amor à Palavra germinou já na mais tenra infância, quando o menino acompanhava os pais, Leslie e Della Shedd, ambos missionários, em percursos evangelísticos pelas aldeias da Bolívia.

No início da adolescência, volta com os pais e irmãos para os Estados Unidos e cursa o segundo grau em duas instituições: Westervelt Home e Wheaton College Academy. Depois disso, a profunda sede pelo conhecimento da Palavra leva o jovem Shedd a uma intensa jornada de cursos. Primeiro, estuda Teologia no Wheaton College, onde recebe o grau de bacharel com especialização em Bíblia e Grego. Depois, decide fazer um mestrado em estudos do Novo Testamento na Wheaton College Graduate School. Muda-se então para o estado da Filadélfia e matricula-se no Faith Seminary, onde adquire o título de mestre em Teologia, em 1953. Dois anos depois, aos 25 anos de idade, conquista o grau de doutor em Filosofia (PhD) na renomada Universidade de Edimburgo, na Escócia. Em 1955, volta para os Estados Unidos e aceita o cargo de professor no Southeastern Bible College, em Birmingham, no estado do Alabama, onde conhece uma aluna, Patricia Dunn, com quem viria a se casar em 22 de junho de 1957.

Tendo os olhos e o coração voltados para a obra missionária, em 1959 o jovem casal é enviado pela Conservative Baptist Foreign Mission Society (CBFMS) para Portugal. Ali, Russell Shedd recebe com grata satisfação o encargo de acompanhar um ministério de literatura em formação. Denominado “Edições Vida Nova”, esse ministério fora fundado com o propósito de fornecer textos teológicos básicos e obras de referência bíblica para estudantes, professores e pastores.

Passados três anos, Russell Shedd e os demais missionários notaram que o programa de publicações sofria duas sérias limitações: os altos custos de impressão e a baixa e lenta demanda dos livros na minúscula comunidade evangélica portuguesa. Após muitas orações e deliberações, os olhos dos missionários voltam-se para um país do outro lado do Atlântico, com uma comunidade evangélica maior e em franco crescimento, contando ainda com a possibilidade de baixos custos na produção editorial. O plano inicial era que Russell Shedd ficasse dois anos no Brasil com o objetivo de implantar uma ação editorial em São Paulo e depois voltasse para Portugal.

Em agosto de 1962, o casal Shedd chega ao Brasil, onde permanece, sem retornar a Portugal, e onde Russell Shedd passa a ensinar e a inspirar amor à Palavra de Deus, dando continuidade ao ministério de Edições Vida Nova. Ele sempre se dedicou de corpo e alma ao estudo e ao ensino das Escrituras, seja na área do ensino teológico, seja na área de publicação de livros evangélicos que facilitassem a compreensão e o conhecimento das Escrituras, sendo mais de 25 deles de sua autoria. Por muito tempo esteve à frente do ministério de Edições Vida Nova e, embora há vários anos tivesse passado a presidente emérito, jamais deixou de amar e participar dessa obra. Também atuou como consultor da Shedd Publicações. Sua influência perdura até hoje mesmo depois de aposentado, sendo um ativo influenciador de líderes e membros da igreja brasileira.


Na Faculdade Teológica Batista de São Paulo foi professor de Novo Testamento e diretor do Departamento de Novo Testamento e Exegese. Lecionou também em outras renomadas instituições ao redor do mundo.
Somos profundamente gratos a Deus pela forma maravilhosa em que usou o dr. Shedd para influenciar e impactar a todos a quem ele teve a oportunidade de discipular, usando-o também por meio de aulas e palestras e dos muitos livros escritos ou editados por ele. Com certeza, seu exemplo e ensino serão seguidos por muitos anos. Todos os que o conheceram só podem dizer, juntamente com ele, Soli Deo gloria!

Para todos que o conheciam direta ou indiretamente, um PASTOR!
Suas ministrações tocavam nossa alma e no nosso coração ele era amado!

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Halloween



CANAL NT KIDS

Caso queira ministrar sobre o assunto utilize
a lição a seguir, você pode encontrar em nossa loja!

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Amigas Inseparáveis

Texto da Lição: Rute 1.1-22

P/ Memorizar: "Sois da família de Deus." Efésios 2.19


Noemi e Rute

1 No tempo em que Israel era governado por juízes, houve uma grande fome naquele país. Por isso um homem de Belém, cidade da região de Judá, foi com a sua mulher e os seus dois filhos morar por algum tempo num país chamado Moabe. 2 O nome desse homem era Elimeleque, e o da sua mulher, Noemi. Os dois filhos se chamavam Malom e Quiliom. Essa família era de Efrata, um povoado que ficava perto de Belém de Judá. Eles foram para Moabe e ficaram morando ali. 3 Algum tempo depois, Elimeleque morreu, e Noemi ficou com os dois filhos, 4 que casaram com moças moabitas. O nome de uma delas era Orfa, e o da outra, Rute. Quando já fazia quase dez anos que estavam morando ali,


5 Malom e Quiliom também morreram. E Noemi ficou só, sem os filhos e sem o marido. 6 Um dia Noemi soube que o SENHOR tinha ajudado o seu povo, dando-lhe boas colheitas. Então ela se aprontou para sair de Moabe com as suas noras. 7 Elas saíram a fim de voltar para Judá, mas no caminho 8 Noemi disse às noras: —Voltem para casa e fiquem com as suas mães. Que o SENHOR seja bom para vocês, assim como vocês foram boas para mim e para os falecidos! 9 O SENHOR permita que vocês casem de novo e cada uma tenha o seu lar! Então Noemi se despediu das suas noras com um beijo. Porém elas começaram a chorar alto 10 e disseram: —Não! Nós não voltaremos. Nós iremos com a senhora e ficaremos com o seu povo. 11 Mas Noemi respondeu: —Voltem, minhas filhas. Por que querem ir comigo? Vocês acham que eu ainda poderei ter filhos para casarem com vocês? 12 Voltem para casa porque já estou muito velha para casar de novo. Pois, ainda que eu tivesse esperança de casar outra vez ou mesmo que casasse esta noite e chegasse a ter filhos, 13 será que vocês iriam esperar até que eles crescessem para vocês casarem com eles? É claro que não, minhas filhas! O SENHOR está contra mim, e isso me deixa muito triste, pois vocês também estão sofrendo.


14 Aí elas começaram a chorar alto outra vez. Então Orfa se despediu da sua sogra com um beijo e voltou para o seu povo. Mas Rute ficou. 15 —Veja! —disse Noemi. —A sua cunhada voltou para o seu povo e para os seus deuses. Volte você também para casa com ela. 16 "Porém Rute respondeu: —Não me proíba de ir com a senhora, nem me peça para abandoná-la! Onde a senhora for, eu irei; e onde morar, eu também morarei. O seu povo será o meu povo, e o seu Deus será o meu Deus." 17 Onde a senhora morrer, eu morrerei também e ali serei sepultada. Que o SENHOR me castigue se qualquer coisa, a não ser a morte, me separar da senhora! 18 Como Noemi viu que Rute estava mesmo resolvida a ir com ela, não disse mais nada.


19 E elas continuaram a viagem até Belém. Quando chegaram lá, toda a cidade ficou agitada por causa delas. E as mulheres perguntavam: —Esta é a Noemi? 20 Porém ela respondia: —Não me chamem de Noemi, a Feliz. Chamem de Mara, a Amargurada, porque o Deus Todo-Poderoso me deu muita amargura. 21 Quando saí daqui, eu tinha tudo, mas o SENHOR me fez voltar sem nada. Então, por que me chamar de Feliz, se o Deus Todo-Poderoso me fez sofrer e me deu tanta aflição? 22 E foi assim que Noemi voltou de Moabe, com Rute, a sua nora moabita. Elas chegaram a Belém quando a colheita de cevada estava começando.

ANEXOS





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...